A Pedagogia Logosófica

Entenda seus fundamentos, princípios e perspectivas.

0 0

O que é?

“A Pedagogia Logosófica é a pedagogia do bem-dizer, do bem-pensar, a pedagogia da felicidade, porque, ao mesmo tempo que ensina, faz feliz.”

Conheça mais sobre essa pedagogia

Origem e fundamento

A Pedagogia Logosófica tem sua origem na Logosofia, ciência criada pelo educador e humanista argentino Carlos Bernardo González Pecotche, que apresenta uma clara concepção do ser humano, do Universo e das Leis que regem toda a Criação.

Projeções

Educa para a vida consciente e promove o conhecimento de si mesmo e o desenvolvimento biopsicoespiritual. Por efeito da ação conjunta do conhecimento e do afeto, vai além da formação curricular e propicia o cultivo de valores permanentes para a vida.

Aplicação

Com a aplicação do método logosófico, o docente pode realizar um processo de evolução consciente, e o aluno, um processo de superação. Num ambiente favorável ao aperfeiçoamento, o ser descobre seu mundo interno, aprende a identificar e selecionar os pensamentos, cultiva os sentimentos e amplia a vida.

Resultados

Sua aplicação resulta, gradualmente, em indivíduos mais livres e mais felizes, responsáveis, com confiança em si mesmos e com defesas mentais que lhes oferecem recursos para imunizar-se contra os males que afetam a humanidade, aprendendo a fazer o bem conscientemente.

Conceitos que fundamentam o processo educacional proposto pela Pedagogia Logosófica

Deus

A busca de Deus é inerente ao ser humano, por sua natureza espiritual, e está relacionada a sua necessidade de penetrar nos grandes conhecimentos que lhe expliquem o significado da vida e da própria existência. A Pedagogia Logosófica tem, entre outros objetivos, o de ensinar a pensar e sentir Deus dentro de uma perspectiva real, a ser abarcada pela própria mente, sem temores de espécie alguma. Este é o verdadeiro caminho que leva a amar e respeitar o Autor da Criação.

O Ser Humano

A Logosofia afirma que o ser humano é um ser indivisível, porém constituído de duas naturezas, a física e a espiritual, encerrando um mecanismo passível de articular-se em conjunção harmônica. A natureza física é dotada de órgãos e sistemas biológicos que atuam e se comunicam entre si maravilhosamente assim como de um mecanismo psicológico que se resume na alma (composta por três sistemas: mental, sensível e instintivo). A natureza espiritual do homem é a que corresponde a seu espírito e distingue-se da física por ser incorpórea e imperecedoura.

A Educação

Coerente com a concepção de homem que a Logosofia apresenta, a Pedagogia Logosófica visa à formação integral do ser humano, ou seja, a atendê-lo e educá-lo em sua configuração biopsicoepiritual. Não ignora, portanto, que paralelamente ao ensino das matérias curriculares que se põe ao alcance do educando, há que oferecer-lhe os elementos de que necessita para formar-se na totalidade do seu ser psicológico, moral e espiritual.

O Professor

A Pedagogia Logosófica dá ao professor um papel principalíssimo no processo de ensinar e de aprender: cabe-lhe estimular no aluno o gosto pelo saber e, consequentemente, o gosto pelo estudo. Não pode ser ele um simples transmissor do saber adquirido em qualquer ramo do conhecimento, mas um ser ativo e criador, que transfunde em sua ação a energia e a criatividade que o conhecimento confere.

O Afeto

O afeto, como parte consciente do amor é um princípio fixador das relações humanas e elemento essencial para a aplicação da Pedagogia Logosófica. É ele o que permite estabelecer uma ponte de compreensão entre quem ensina e quem aprende, indispensável para que se verifique o verdadeiro ato de aprender. A relação entre o professor e o aluno deve ter como base o afeto e o respeito.

As Imagens Analógicas

Para favorecer a compreensão do que se quer ensinar utilizam-se as imagens analógicas. As imagens analógicas oferecem a possibilidade de conhecer toda a Criação, a qual, por semelhança, se multiplica em aspectos que englobam desde os elementos que estão mais próximos do entendimento humano até o infinito.

“(...) se há algo que com maior facilidade ilustra a mente humana quando se lhe expõe temas de alguma profundidade, é a apresentação dos mesmos por meio de imagens, às quais têm, ademais, a virtude de serem rara vezes esquecidas.” Pecotche

A Repetição Inteligente

Um dos princípios básicos da Pedagogia Logosófica é repetir o que se quer ensinar, desde que essa repetição seja feita com inteligência, com criatividade: repetir superando sempre a forma como foi trabalhado o assunto na vez anterior, de maneira mais ampla e profunda, como em uma espiral ascendente.

As Perguntas e Reperguntas

É preciso oferecer espaço para as perguntas e questões que surgem da necessidade de saber mais, de colocar-se melhor, de ser mais eficiente, de entender para poder sentir. É importante formular perguntas e reperguntas para movimentar a mente e favorecer o exercício do pensar e da razão.

O Ambiente

Nos ambientes onde se aplica a Pedagogia Logosófica estão presentes a alegria, o afeto e o respeito, somados ao afã comum de evolução. Esta alquimia faz da moral uma norma congênita que propicia o desenvolvimento integral do ser.

As Explicações

A explicação constitui-se, para aquele que quer saber, em um alimento para a formação da razão. Uma boa explicação habilita o ser a tirar conclusões e desenvolver o gosto pela lógica, atenua temores, defende contra os excessos da imaginação, ilumina a inteligência e sensibiliza.

O Exemplo

Não se deve esquecer a força que a figura do educador, como exemplo de conduta, exerce nos ambientes educativos. Na Pedagogia Logosófica, o professor precisa ser exemplo de esforço e perseverança na busca pelo conhecimento, de empenho em sua própria superação e de genuína dedicação à tarefa de contribuir para a sua superação e a dos demais.

Aprender Generosamente

Quando se aplica a Pedagogia Logosófica, tudo o que o ser aprende precisa estar acompanhado de uma experiência na qual possa ensinar o que aprendeu, pois, a segurança no aprender acontece quando se pode ensinar. Além disto, devemos aprender generosamente; desta forma o luzimento pessoal e as vaidades intelectuais ficam neutralizados.

A Correção da conduta

A correção deve ser sempre discreta e respeitosa, evitando que ocorra na presença dos demais, já que, dessa forma, ao invés de surtir um bom efeito, ela trabalha em sentido contrário. Essa atitude vai criando no educando a segurança, a confiança em si mesmo, estimulando o sincero anelo de superar-se. A correção deve dirigir-se às causas das dificuldades e não apenas a seus efeitos; deve ser firme, mas afetuosa; deve considerar os erros como naturais no processo de aprendizagem e estimular sempre a redenção de si mesmo. Por outro lado, deve-se evitar totalmente qualquer ação que promova o temor, a ameaça ou a promessa, que trazem ilusórias sensações de mudanças.

Carlos Bernardo González Pecotche

O escritor e humanista Carlos Bernardo González Pecotche nasceu em 11 de agosto de 1901, em Buenos Aires, na República Argentina. Desenvolveu intensa atividade como escritor, educador e conferencista, junto a uma intensa atividade epistolar, dando a conhecer a ciência de sua criação que chamou de Logosofia.

Sua vital trajetória caracterizou-se, em uma das facetas mais notáveis, pelo exercício de uma incansável ação docente, em prol da superação humana. “Educar para a vida é considerar como um de seus fins primordiais, o aperfeiçoamento de tudo quanto compreende a existência do ser humano, promovendo a eliminação das deficiências pela correção consciente dos erros, e despertando nos seres o afã de superação pela aspiração natural de servir à humanidade.”

Em 1930, criou a Fundação Logosófica, com o objetivo de difundir a Logosofia. Mais tarde, criou a “Escola 11 de Agosto”, que anos depois transformou-se nos atuais Colégios Logosóficos, inicialmente no Uruguai e depois no Brasil e Argentina.

Seu intenso trabalho investigativo, intelectual e docente plasmou de forma integral, em diversas expressões e formas, sua original visão do cosmo, portadora de uma singular geração de conhecimentos.

González Pecotche alentou a busca do saber a cerca de si mesmo, do semelhante e do mundo, exemplificando com sua vida e seu magistério as projeções que pode alcançar a evolução consciente de todos os atributos humanos para a construção de um destino e um mundo melhor.

Faleceu em 4 de abril de 1963, em Buenos Aires – Argentina, deixando um imenso legado a toda a humanidade.

Colégios Logosóficos

Os Colégios Logosóficos são instituições educacionais regulares nas quais aplica-se a Pedagogia Logosófica. Suas ações apoiam-se em dois pilares: o ensino dos conteúdos curriculares definido pela legislação específica de cada país ou cidade e o trabalho educativo para a formação do estudante de forma integral, considerando-o como um ser biopsicoespiritual.

A Pedagogia Logosófica, como uma enriquecedora linha pedagógica, tem atraído a atenção do ambiente educativo pela originalidade de seus princípios e pelos resultados obtidos no encaminhamento da formação mental, moral e espiritual da criança e do adolescente.

Nos Colégios Logosóficos existe um ambiente de afeto e de respeito, onde se busca o cultivo de valores essenciais para a vida e o estímulo ao desenvolvimento das faculdades mentais e sensíveis, sempre em estreita integração com as famílias.

O Sistema Logosófico de Educação reúne os Colégios Logosóficos existentes e conta atualmente com várias unidades na Argentina, Uruguai e Brasil, que têm como diferencial a aplicação da Pedagogia Logosófica e apoio das Fundações Logosóficas – entidades oficiais para divulgação da Logosofia.

A missão dos Colégios Logosóficos é:

Oferecer à infância e à juventude, por meio da Pedagogia Logosófica, um amparo e um saber que favoreçam o desenvolvimento pleno de suas aptidões físicas, mentais, morais e espirituais, formando as bases de uma nova humanidade, mais consciente de sua responsabilidade diante da própria vida, da sociedade em que vive e diante do mundo.

Saiba mais em: www.colegiologosofico.com.br

Aprofunde os seus conhecimentos sobre a Logosofia. Conheça os livros