Criando defesas para a mente
31 de janeiro de 2016 | Lúcia Maria Soares de Andrade

A Logosofia assinala que nunca, como nos tempos atuais, foi tão necessário, útil e instrutivo o conhecimento das defesas mentais que cada indivíduo pode instituir, para preservar-se dos males que constantemente ameaçam sua integridade física,moral e espiritual.

É certo que pensar no futuro das crianças e adolescentes sempre promove, em pais e educadores, uma grande apreensão. O cenário no qual se desenvolverão essas vidas que tanto dependem de nossa ação educativa se mostra, nos tempos atuais, muito pouco alentador, ao caracterizar-se pela presença de mil fatores adversos, perigosos, e por uma indissimulável ausência de valores éticos e morais.

Como proteger as crianças e adolescentes dessa realidade que os cerca e na qual terão de saber viver, sem que incorramos no seu cerceamento,sem criar os filhos ou alunos numa redoma? Como prepará-los para se defenderem dos pensamentos negativos da época, ensinando e estimulando atitudes que contribuam para a constante superação de suas condutas, com repercussão positiva em suas vidas e no exemplo que poderão oferecer aos demais?

Como educar para a vida, tendo em vista valores permanentes e não apenas aqueles valores que contemplam as necessidades ou os estímulos do momento?

Tais defesas se situam além dos conhecimentos curriculares, definindo-se como recursos de efeitos positivos e instantâneos. Sua posse e utilização consciente pela pessoa dependem de conhecimentos que ela venha a adquirir de sua realidade interna. Esses conhecimentos, unidos ao uso da faculdade de pensar, permitem que ela conheça seus próprios pensamentos, saiba selecioná-los para servir-se dos melhores, criando pensamentos próprios em vez de usar sempre dos alheios. Ao fazê-lo, estará de posse de uma chave para dominar seu campo mental e estabelecer suas defesas mentais, protegendo a si mesma onde quer que se encontre.

A formação de defesas mentais deverá iniciar-se ainda na infância. Isto significa que a ação educativa que conduz a esse fim deve penetrar no mundo interno da criança e do adolescente. O ser em formação precisa compreender o mundo que o cerca, saber analisá-lo, saber o que fazer por vontade própria diante de todas as situações, saber por que deve ou não acatar tal ou qual norma ou orientação.

defesas mentais

 

No terreno de tais realizações pedagógicas, o cultivo do conhecimento transcendente adquire um significado especial. Saber como pensar e ensinar como pensar no Criador, na Criação, no ser humano e sua configuração interior enseja uma progressiva e constante ampliação do conceito de vida por parte da criança e do adolescente. Permite, por esse caminho, que cada um consiga traçar com mais acerto seus objetivos. O bom e estimulante futuro que todos almejam para si já não estará em perigo diante da realidade dos desvios em que a humanidade se encontra atualmente, num mundo imerso em conflitos e infeliz.

A Pedagogia Logosófica, além de oferecer os recursos para a correção da conduta, atua na prevenção do erro. Ao apresentar às crianças e adolescentes, numa medida justa e inteligente, a realidade do mundo interno de cada um, estimula a melhor conduta, o cultivo dos valores morais e éticos. Ensina a ver que todos possuem, em potencial, os recursos para superar suas limitações, dando-lhes condições de desenvolver esses recursos e enfrentar os desafios da vida com mais valentia e segurança.

 

Lúcia Maria Soares de Andrade

Graduada em História UPIS – BSB / Pós-graduada em Administração Escolar UNIVERSO – BSB / Diretora do Colégio Logosófico – Unidade Brasília


 
 

Receba Nossos Informativos

Cadastre seu email para receber nossos informativos com novos artigos, livros e conteúdos exclusivos.